sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Teu mar

Amava tanto
que de tanto mar
mergulhava
ondas perfeitas.
Sua voz acalmava
Inconstância destruía
Sorriso acalentava
Olhar fugia
Amava tanto
Que de tanto amar
Me afoguei
Em ti.

Graziele de Almeida

Um comentário:

  1. Ai ai... Já é velho, mas mesmo quando novo jé se conjugava no passado!

    ResponderExcluir